sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Dos sinais que precederam a guerra (antes da queda de Jerusalém no ano 70.D.C)


Imagem cedida por: http://imperioroma.blogspot.com

A paz do Senhor. Resolvia colocar esta postagem extraída o livro de história Eclesiástica cuja a autoria e de um grande e renomado historiador da igreja primitiva chamado Eusébio de Cesareia onde reforça o meu pensamento que antes de Deus fazer alguma coisa, principalmente algum JUÍZO de sua parte, ele avisa antes oque vai fazer. e isso aconteceu com os judeus que perseguiram e mataram Jesus, perseguiram a igreja e se rebelaram contra os romanos, o que veio a acontecer a invasão da cidade de jerusalém pelas legiões Romanas e consequentemente a destruição do templo Judaico. veja abaixo alguns eventos "estranhos" que aconteceram antes da destruição da cidade onde entendo que foram sinais da parte de Deus.

1. Toma pois, e lê o que apresenta no livro VI de suas Histórias com estas palavras:

"Naquele tempo os impostores e os que levantavam tais calúnias contra Deus pervertiam o povo miserável, de forma que nem percebiam nem davam crédito a tais prodígios bem claros que anunciavam de antemão a iminente desolação; antes, como se aturdidos por um raio e como se não tivessem olhos nem alma, faziam ouvidos surdos às mensagens de Deus".

2.         Estas foram: um astro que se deteve sobre a cidade, semelhante a uma espada de dois gumes, e um cometa que durou todo um ano. Outra vez foi quando, antes da insurreição e dos distúrbios que levaram à guerra, estando o povo reunido para celebrar a festa dos ázimos, no oitavo dia do mês de Jantico, à nona hora da noite, brilhou sobre o altar e o templo uma luz tão grande que poder-se-ia pensar que era dia, e isto durou uma meia hora. Aos ignorantes poderia parecer um bom sinal, mas os escribas interpretaram-no corretamente antes que os fatos ocorressem.

3.    E na mesma festa, uma vaca que o sumo sacerdote conduzia ao sacrifício pariu um cordeiro no meio do templo.

4.    E a porta oriental do interior, que era de bronze e muito pesada, e que havia sido fechada ao anoitecer com dificuldade por vinte homens que a trancaram solidamente com ferrolhos presos com ferro, além de ter gonzos profundos, abriu-se sozinha à sexta hora da noite.

5.         E passada a festa, não muito depois, no vigésimo primeiro dia de Artemisio, apareceu um fantasma demoníaco de tamanho incrível. E o que se passará a dizer poderia parecer mentira se não tivesse sido contado pelos mesmos que o viram e se os sofrimentos que se seguiram não fossem dignos destes sinais. De fato, antes do pôr-do-sol, apareceram pelo ar em redor de toda a região carros e falanges armadas que se lançavam através das nuvens e rodeavam as cidades.

6.    E na festa chamada Pentecostes, à noite, entrando os sacerdotes no templo, como de costume, para exercer suas funções, dizem que primeiramente perceberam movimento e ruído de golpes, e logo um grito em uníssono: Saiamos daqui!

7.         E o que é mais terrível: um homem chamado Jesus, filho de Ananías, homem simples, camponês, quatro anos antes da guerra, quando a cidade desfru­tava da maior paz e do máximo esplendor, veio à festa, pois era costume que todos erigissem tendas em honra a Deus, e de repente começou a gritar pelo templo: Voz do oriente! Voz do ocidente! Voz dos quatro ven­tos! Voz sobre Jerusalém e sobre o templo! Voz dos recém-casados e casadas! Voz sobre todo o povo! Dia e noite gritava isto por todas as vielas.

8.    Mas alguns cidadãos notáveis, irritados pelo mau agouro, prenderam o homem e maltrataram-no, enchendo-o de feridas. Mas ele, que não falava em proveito próprio nem por conta própria, continuava gritando aos presen­tes o mesmo que antes.

9.    Pensando então os chefes que a agitação daquele homem era algo demoníaco, conduziram-no ante o procurador romano. Ali, dilacerado com açoites até os ossos, não suplicou nem derramou uma lágrima, mas, tornando sua voz tão chorosa quanto possível, a cada ferida respondia: Ai, ai de Jerusalém!"

10.Comenta o mesmo Josefo outro fato mais extraordinário. Diz que nas escrituras sagradas encontrou-se um oráculo com este conteúdo: que naquele tempo alguém saído de seu país regeria o mundo. O próprio Josefo concluiu que o oráculo tinha sido cumprido em Vespasiano.

11.Mas este não governou a todo o mundo, mas somente à parte submetida aos romanos. Seria pois mais justo referi-lo a Cristo, a quem o Pai havia dito: Pede-me e te darei nações como herança e os confins da terra como tua possessão. Pois bem, por este mesmo tempo chegara a toda a terra a voz dos santos apóstolos e aos confins do mundo suas palavras.


Muito interessante não? e o mesmo Deus tem nos dados muitos sinais quanto aos seus juízos que serão derramados no mundo todo! qual a palavra de hoje? arrependimento!

Daniel Werneck

FONTE:  Extraído do livro História eclesiástica de Eusébio de Cesaréia. 

Um comentário:

  1. ola, visitei o seu blog e já estou seguindo, siga de volta meu blog é www.prayjalon.blogspot.com, te vejo lá desde já agradeço!

    ResponderExcluir

Redes sociais