terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

BIOGRAFIA: Missionário Eurico Bergstén

Seu verdadeiro nome era Lars-Eric Ole Bergstén, mais conhecido no Brasil como Eurico Bergstén. Nascido em 13 de agosto de 1913, em Helsinque, capital da Finlândia. Era o terceiro dos seis filhos do casal Nils August e Else Aurora. Seus pais eram luteranos e ensinaram aos seus filhos a Palavra de Deus. Apesar disso, Eurico Bergstén andou um tempo afastado do Evangelho, mas no dia 6 de julho de 1931, quando participava de um acampamento evangelístico para jovens, aceitou a Jesus e teve a vida radicalmente transformada. Batizado nas águas e com o Espírito Santo, foi consagrado ao ministério em outubro de 1933 aos 20 anos de idade e pastoreou algumas igrejas no interior de seu País.

Em 2 de dezembro de 1936 casou com Ester Lindfors, que na época trabalhava como evangelista e era uma grande ganhadora de almas. Deste casamento nasceram cinco filhos: Nils Göran, Ulla, Gitta, Else e Ruy.
Em 1942 durante a Segunda Guerra Mundial, foi convidado a pastorear a igreja de Helsinque. A Finlândia estava em guerra e Eurico servia no exército finlandês e ao mesmo tempo pastoreava a Igreja em Helsinque. A Igreja tinha apenas 200 irmãos, mas Deus mandou um grande despertamento e, com cultos abençoados, o número cresceu para 1000 membros. Quando o avivamento estava no auge, orientado por Deus ele passou a liderança da igreja para outro pastor e passou a servir como co-pastor. Era Deus capacitando-o para o chamado seguinte: servir no Brasil.
Em 2 de setembro de 1948 Eurico Bergstén e família desembarcaram no Rio de Janeiro. Passaram o primeiro ano em Belo Horizonte, com o pastor Anselmo Silvestre se adaptando e vendo como funcionava o trabalho no Brasil, comparando-o com o da Finlândia e da Suécia. Em seguida, serviu ao Senhor em Salvador (1949-1956), Recife (1956-1961, sendo que passou nove meses entre 1959 e 1960 pastoreando interinamente a AD em Natal), São Paulo (1961-1967) e Rio de Janeiro (1967-1973).   
Posteriormente, passou períodos curtos em Belo Horizonte, Recife e Salvador, em  1978 fixou residência em São Paulo.

Durante seu ministério no Brasil, o missionário Eurico sempre trabalhou ao lado da direção da Igreja, enfrentando problemas de liderança e ajudando a encontrar a solução para os casos. Ele influiu diretamente para acabar com querelas eclesiásticas na Bahia, em Recife, onde empossou o pastor José Amaro da Silva na liderança daquela igreja e em São Paulo. Depois, participou do fortalecimento do ministério em São Cristóvão, no Rio de Janeiro. Nessa época, foi tocado por Deus para usar seus contatos na Suécia para beneficiar a CPAD, conseguindo uma impressora rotativa e outras máquinas, e participou da construção do prédio da CPAD em Vicente de Carvalho.

Eurico Bergstén dedicou-se também ao ensino da Palavra, escrevendo 35 comentários para a revista da Escola Dominical e cinco livros de ensino teólogico. Além disso, participou regularmente de escolas bíblicas para obreiros de São Paulo ao Ceará. O missionário várias vezes declarou a sua paixão pela Palavra de Deus, às vezes em lágrimas, como na última entrevista dada à revista Obreiro (1997, Ano 19, nº 1).   

O pastor Eurico destacou-se também na área social, onde começou a atuar em 1967. Sua esposa, irmã Ester Bergstén, comovida com a grande carência das pessoas residentes em uma favela próxima de sua casa, pediu a Eurico que através de seus contatos na Suécia e na Finlândia conseguisse auxílio de entidades filantrópicas. Tudo começou com a distribuição de sopa na favela do Jacarezinho (RJ), vindo depois a Associação de Ação Social Ester Bergstén (Aseb), a Escola de Primeiro Grau Missionário Eurico Bergstén (em Fortaleza), uma escola profissionalizante em Caucaia (CE), o orfanato em Feira de Santana (BA) e o Desafio Jovem de Santo André (SP). A Aseb repassa recursos para cerca de quatro mil crianças em todo o Brasil. Além da substancial ajuda dada ao Orfanato, Eurico incentivou e apoiou a distribuição de sopa aos carentes de Pau da Lima, Canabrava e outras localidades alcançadas pelo programa Ação Social Ester Bergstén.

No final de 1998, foi avisado por Deus da aproximação de sua morte. No dia em que isso aconteceu, repetiu várias vezes e com muita euforia as seguintes palavras: “Eu hoje estou muito alegre! Hoje eu estou muito alegre mesmo!” Perguntado sobre o motivo de tanta euforia, respondeu: “O Senhor disse-me hoje, que está bem próximo o dia de minha partida”.
Eurico Bergstén morreu às 20h30 do dia 06 de março de 1999, em razão de um edema pulmonar. Contava ele, 85 anos de idade e 65 de ministério, 50 dos quais servindo ao Senhor no Brasil. O velório foi realizado no cemitério da Paz, no bairro Morumbi em São Paulo. Pastor José Wellington Bezerra da Costa, em nome da Assembléia de Deus no Brasil, destacou a humildade e generosidade do “irmão Eurico”, e citou 2º Samuel 3.38: “Não sabeis que, hoje, caiu em Israel um príncipe, um grande?”   

Costumava intitular-se um pequeno servo de Deus e tinha como lema não ser desobediente à visão celestial, ganhando assim muitas almas para o Reino de Deus no Brasil e na Finlândia. Sua filha Ulla, que cuidou dele nos doze últimos anos, o definiu como um genuíno pastor de ovelhas, grande ganhador de almas e um homem  que tinha uma vida ininterrupta de oração.
 
FONTE: http://jacorodriguessantiago.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Redes sociais